Conecte-se conosco

Por que as pessoas acreditam em fantasmas?

Sociedade

Por que as pessoas acreditam em fantasmas?

Os fantasmas realmente existem? Por que as pessoas acreditam neles? Vejamos o que a ciência tem a dizer sobre isso.

A ciência ainda não encontrou nenhuma evidência do que é comumente chamado de “fantasmas”, sendo este um assunto mais para o mundo do cinema. No entanto, isso não significa que as pessoas estão loucas (tudo bem, algumas estão), já que na verdade, há uma série de explicações lógicas para isso e a ciência as explica muito bem.

O canal Vox postou um vídeo onde eles explicam o que são estes “fantasmas” que as pessoas dizem ver. E não é uma questão trivial, já que só nos Estados Unidos, de acordo com algumas pesquisas, 45% dos americanos afirmam acreditar neles. E o que é mais surpreendente ainda, na mesma pesquisa, 28% disseram ter visto um fantasma em algum momento de sua vida.

Afinal, por que as pessoas acreditam em fantasmas?

Mas se isso nunca aconteceu com você, deve estar como eu agora, se perguntando: “Mas que diabos acontece então?”. Será que existem dados que podem provar uma única aparição de fantasmas que seja?

Como explica no vídeo o Sr. Joe Nickell, investigador principal do Comitê de Pesquisa dos Céticos e autor de vários livros sobre o assunto, não se trata de taxar de louco qualquer um que diga que viu fantasmas, mas sim de encontrar um raciocínio lógico que explique porque algumas pessoas dizem ver fantasmas.

Nickell diz ainda que em seus mais de 50 anos investigando casos “paranormais”, nunca encontrou uma única prova ou evidência que corrobore a existência de fantasmas. Assim, e com base em que não existem estudos científicos ou raciocínio empírico que alimentem essa crença, quais razões existem para isso?

Para tanto, o pesquisador aponta três razões que são cientificamente explicáveis.

1. Infrassons.

Nós os conhecemos há muito tempo. Infrassons são ondas acústicas ou ondas sonoras, cuja frequência é inferior a da faixa audível pela audição humana, ou seja, cerca de 20 Hz (embora sempre inferior a esse valor). Por isso, e em teoria, é algo que supostamente não podem ouvir.

loading...

O que realmente acontece é o que explicou Vic Tandy em 1998, um engenheiro britânico. Há níveis em nosso cérebro, além daquilo que entendemos como “audível” que também percebemos e estes nos geram estados ou emoções. Assim, existem certos tipos de ruídos em níveis muito profundos, sons que são comumente usadas por compositores de cinema para contornar as regras lógicas de nosso cérebro, como se fosse uma peça que vai direto ás nossas emoções (mais primitivas).

E embora não possamos ouvir estes ruídos em primeira mão, os nossos corpos podem percebê-los de outras maneiras. Os infrassons podem causar calafrios, sensação de desconforto, depressão, e até mesmo alucinações.

2. A paralisia do sono.

Estima-se que 8% das pessoas do planeta experimentam pelo menos uma vez a paralisia do sono. Esta é uma incapacidade temporária de realizar qualquer movimento voluntário que ocorre durante o período de transição entre o estado de sono e de vigília. Isso pode ocorrer no momento do início do sono ou da vigília e geralmente é acompanhado por um sentimento de grande angústia.

A sua duração é geralmente curta, tendo entre um e três minutos, após o que a paralisia desaparece espontaneamente. Durante o episódio, a pessoa está plenamente consciente, tendo a audição e o tato, mas é incapaz de se mover ou falar, o que pode causar grande ansiedade.

Segundo especialistas, uma pessoa pode experimentar alucinações visuais e auditivas assustadoras. O corpo é incapaz de se mover durante um episódio de paralisia do sono, por isso a experiência é ainda mais surreal e assustadora.

De fato, neurobiólogos encontraram evidências que sugerem que a paralisia experimentada durante a paralisia do sono pode ser causada quando as mudanças entre os estágios REM do sono não acontecem como deveriam, e como resultado, o cérebro está acordado e o corpo permanece dormindo.

3. A dor.

A dor ou trauma da perda de alguém que você ama pode ser tão grande que nos leva a ter alucinações. O psicólogo Oliver Sacks fala sobre isso em seu famoso livro ‘The Man Mistook his wife for a Hat‘. No entanto, Sacks não diz que estas alucinações são horríveis, mas sim necessárias e confortáveis para os seres humanos. A dor por vezes nos faz travar um duelo muito particular, um processo para deixar alguém partir e aceitar sua morte.

Finalmente, explica Nickell, as pessoas podem acreditar em fantasmas, simplesmente porque isso significaria que não morremos (ou pelo menos não completamente), e este sentimento pode ser mais poderoso do que qualquer realidade.

Continue Lendo
Clique para comentar

Mais em Sociedade

Ao Topo